RESENHA – Dragões de Éter – Corações de Neve, de Raphael Draccon (2010)

Olá a todos!

E cá estou eu, retornando ao mundo que tanto prezo, que tanto amo: o mundo da literatura. Depois de um hiato de preguiça, deixo novamente uma resenha literária, a primeira do ano, a primeira de muitas desse ano que promete ser cheio de surpresas e mudanças na minha vida (pois é, ano de vestibular…). Pois bem, espero que gostem. Se não gostarem, realmente não é problema meu..

Nos próximos posts colocarei minhas listas de livros e filmes e uma compilação de todas as notas de resenhas que já pus aqui no blog (atualizando-as). Pode ser algo inútil, mas estou a fim de fazer.

E tem mais: procurando sempre me renovar, a resenha a seguir está montada de um jeito um pouco diferente das demais. Espero que fique bacana nesse formato.

Façam bom proveito.

“Existe uma força dentro do espírito humano que pode ser moldada. E esta força é capaz de gerar feitos extraordinários em dimensões que o mundo material não pode alcançar…”
Dragões de Éter – Corações de Neve, de Raphael Dracoon

Ano: 2010

Páginas: 496

Gênero: Fantasia

Origem: Brasil

 

ATRIBUTOS:

+ Personagens evoluíram sensivelmente

+ Eventos mais épicos

+ Trama bem-amarrada

+ Lirismo belo

– Clímax não tão marcante como o anterior

Depois de acompanharmos tanto lixo literário (e cinematográfico) no gênero da fantasia, é sempre bom reconhecer uma obra de qualidade quando vemos uma. E nem é preciso procurar tanto, temos um bom exemplo disso em terras nacionais. Chama-se Dragões de Éter, de Raphael Draccon.

O jovem autor e roteirista mostra mais uma vez que sabe escrever um romance com paixão, criatividade e talento. O segundo volume da saga de fantasia mostra-se superior ao primeiro, com muito mais intrigas, amores e acontecimentos. Misturando contos de fada com criaturas de diversas mitologias, Draccon nos brinda com uma mistura bela de lirismo e aventura.

As coisas estão para mudar no mundo imaginário de Nova Ether. Um novo rei sobe ao trono, um magnífico torneio de pugilismo está prestes a começar, inimizades políticas se reacendem, rebeldes lutam por independência e um grupo secreto está prestes a ressurgir. O mundo passará por mudanças que atingirão a todos.

Numa estratégia bem-sucedida, o autor narra o livro em capítulos curtos, ora com duas ou três páginas, ora até com meia página. Isso gera um dinamismo perfeito, que pendura o olhar do leitor folha a folha. Pode até não agradar a alguns, mas soa perfeitamente cabível e adequado para essa história, aonde vários acontecimentos ocorrem em paralelo.

Corações de Neve continua a história dos personagens mostrados no antecessor, como João, Maria e Ariane, do mesmo jeito que insere novos personagens na mitologia da saga, tais como Robert. É exatamente neste ponto em que o livro acerta em cheio: os personagens são cheios de carisma e todos tem um papel importante na trama, seja o rei que tomará decisões difíceis ou o ladino que procura somente lucrar.

Além disso, podemos sentir uma sensível evolução na personalidade dos personagens, que concluem mais um arco de uma linha de roteiro muito bem arquitetada, com destaques para o jovem João e o sagaz Snail. Sem precisar apresentá-los novamente, Draccon molda-os com competência.

Assim como os personagens, a trama desta sequência é também mais madura e transcorre mais rápido para seus momentos apicais. Se no primeiro livro o ato inicial servia apenas para apresentações, agora ele realmente adiciona algo na trama. O resultado é um livro dinâmico com mais coisas acontecendo. Este apresenta também uma grandiosidade maior, apesar de não possuir um clímax tão emocionante quanto o visto em Caçadores de Bruxas.

Novos e velhos personagens se agregam para criar um mundo crível e arrasadoramente convidativo. A prosa do escritor continua afiada, alternando momentos velozes de batalha com descrições líricas belíssimas cheias de significado.

A saga Dragões de Éter faz sorrir, amar e, principalmente, imaginar – o que não podemos parar de fazer nunca –  mundos indubitavelmente ligados ao nosso e ao mesmo tempo tão distantes. Indicados para todas as idades, tem o poder de divertir crianças, encantar jovens e lembrar adultos de como imaginar no impossível pode ser extremamente divertido e recompensador.

NOTA 9,0

 

Segue o link do blog do autor:

http://www.raphaeldraccon.com/blog/

Anúncios

Publicado em quarta-feira,1 fevereiro,2012, em Literatura, Resenhas Literárias e marcado como , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: